Locutores

"Pé no chão, lá vão eles pra mais um espetáculo. Com fala forte e cantada, começam a dar ritmo à festa . Repentistas natos, usam e abusam da criatividade. E assim vão envolvendo e conquistando a atenção do público que se agita na arquibancada. O colorido dos versos embalam o sacolejo do homem com o animal e explodem nos ouvidos, deixando a marca registrada de sua passagem na arena."
( Fonte: Revista Rodeo Country )

ZÉ DO PRATO - ( in memoriam )
Zé do PratoJosé Antonio de Souza (Zé do Prato) nasceu em Regente Feijó no dia 27/04/48.
Foi o maior locutor de rodeio do Brasil.
Faleceu no dia 27/01/92 em Piracicaba.

O museu nacional do Zé do Prato foi fundado no dia 07/09/97 e contem um acervos de mais de 200 peças.
O Diamante Negro O Grande pai do rodeio ensinou, pelo seu talento com humildade e credibilidade, ao Brasil amar e respeitar o rodeio.
O sucesso do rodeio deve-se ao Zé do Prato. Ele conquistou o povo brasileiro e fez com que gostassem do rodeio.
A maneira de falar, o jeito de brincar e fazer amizade atraía muitas pessoas.

Saudoso inventor da expressão "seguuuura, peãããão!", considerado o maior locutor de rodeio de todos os tempos sua estrondosa voz animava o público e dava garra aos peões.
Somente ele conseguiu tocar no fundo das emoções, transformando a disputa entre homem e animal em uma majestosa dança.
O Anjo Negro tinha o poder de transformar os cowboys em deuses e os animais em titãs.

Além das locuções, Zé se preocupava com todas outras áreas do rodeio.
Sempre era um dos primeiros a chegar e já verificava tudo, desde os barraqueiros até os artistas famosos.
Para ele, tudo tinha que estar perfeito. Hoje, muitos agradecem a Zé do Prato pelo crescimento do rodeio no Brasil.
Mas um dia a sua voz calou e o povo das arenas chorou a perda do mestre.
Até hoje as suas frases são faladas pelos locutores, que na verdade,são as sementes que ele plantou pelo Brasil.






RAFAEL VILELLA
Rafael Vilella
Rafael Vilella é apaixonado pelos rodeios e se tornou um dos principais locutores desse esporte que ganha mais e mais admiradores em todo o país.
Sua história no mundo dos eventos country começou há 18 anos como uma simples brincadeira no colégio.

Nascido em Pindamonhangaba há 37 anos, filho de agropecuarista, cresceu e se desenvolveu cercado de atividades rurais e urbanas. Desde criança Rafael anda a cavalo. Logo aos 8 anos de idade, por exemplo, já tocava o gado da família e aos 10 fugia para assistir os rodeios realizados em sua cidade. Não tinha medo de montar em bezerros, quebrou o braço uma vez e quando tentou montar em um touro, escondido do pai, percebeu que esse não era seu destino.

Foi a única oportunidade em que ele se viu em cima de um animal. Ainda no colegial, Rafael participou, certa vez, de uma gincana.
Era uma brincadeira onde ele teria que imitar algum narrador esportivo. "Imitei um locutor de rodeios e nossa equipe ganhou a competição.
A partir deste episódio surgiu o interesse pela locução e comecei a frequentar os rodeios da região do Vale do Paraíba”, conta Rafael. Saiba Mais no Site oficial do Rafael Vilella




GLEYDSON RODRIGUES
Gleydson Rodrigues
Nasceu na cidade de São Gotardo, MG, no dia 25 de março. Com 5 anos de idade mudou-se com sua familia para a cidade de Unaí-MG, filho de Manoel Rodrigues Neto e Adília Maria de Oliveria Rodrigues.
Quem vê esse mineiro empolgado e agitador das melhores arenas do Brasil, não imagina o quanto ele é apegado a familia.

Gleydson hoje se transformou num dos mais respeitados quando o assunto é locutor de rodeio. Conseguiu conquistar muitos corações e o apreço de pessoas respeitadas no rodeio, com um estilo criativo e inovador, locutor que conquistou os corações dos amantes do rodeio, promete emoções e muita adrenalina na arena das cidades por onde passa.

Ele anima, brinca, emociona e fala com precisão sobre as montarias, competidores, tropeiros e animais, no mundo do rodeio, já se tornou um ídolo, com seu jeito carismático e alegre. Atualmente, Gleydson é considerado um dos profissionais de maior sucesso e admiração no mundo dos rodeios.
Fonte FanPage Gleyson Rodrigues




MARCO BRASIL
Marco Brasil
Marco Aurélio Ribeiro, nascido dia 28 de janeiro, no interior de São Paulo.
Este paulista já foi caminhoneiro, jogador de futebol profissional e policial rodoviário, mas não gosta de usar o passado para esbanjar vitórias, e sim para lembrar que não se chega a lugar algum sem muita luta e determinação. ” Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim\”…..ele acreditou nisso e buscou seu ideal.

Quem conhece essa personalidade, já percebe que se trata de um grande brasileiro (não só pelos seus quase dois metros de altura).
Com 16 anos de carreira, esse grande homem com jeito simples e um carisma inigualável, é um dos profissionais de rodeio mais requisitados do Brasil. Para os fãs, faz a alegria de todos, sempre muito simpático e sorridente, é sempre incansável na distribuição de carinho e atenção com aqueles que o cercam.

Marco Brasil começou sua carreira artística em rodeios, destacando-se como locutor universitário quando cursava faculdade de Direito em Marília-SP, em meados de 1995.  Fonte: Site Oficial Marco Brasil




ALMIR CAMBRA
Almir Cambra
Considerado o locutor mais técnico do rodeio brasileiro, Almir Cambra tem uma carreira premiada e conquistou o status através do trabalho sério que realiza em inúmeros rodeios pelo país. O estilo único e emocionante de narrar uma montaria, que muitas vezes culmina com o chapéu jogado para o alto numa bela disputa, marcam a locução arrojada de Almir Cambra. Presente nos mais destacados rodeios do Brasil, Almir possui uma trajetória de sucesso, com grandes conquistas e vários títulos.

Em 2010 comemorou 15 anos de carreira. Antes de ser locutor, sua meta era competir montando em touros. Até tentou, participou e ganhou alguns rodeios, mas se machucou e viu que não levava jeito para o esporte. Como o rodeio já era uma paixão em sua vida, passou para a locução, que naturalmente transformou em profissão.

"Comecei a brincar no rodeio em 1989, na chácara de um amigo que era tropeiro em Jaboticabal, chamado Jorge Maloca. Morávamos perto e, naquela época, eu ia lá aos domingos à tarde e ficava assistindo o povo montar. Em 90, passei no vestibular do Colégio Agrícola da UNESP, na minha cidade, e lá, o professor Tenório organizava o rodeio na Universidade. E foi nestas duas oportunidades que pude estrear no microfone..
Fonte: Site Oficial Almir Cambra




Piracibano é o Simprão das Arenas.
Piracicabano
Com personalidade forte, Edson Fuzaro de Castro, sonhava em se tornar um grande campeão de rodeio. Atraído pela aventura de viajar de cidade em cidade, aproveitou para ir embora com uma companhia de rodeio presente na festa de Nova Granada, sua cidade natal e na oportunidade, arriscou a fazer uma locução e hoje, quem diria suas locuções atravessam esse país de ponta a ponta.

Com estilo único, Piracicabano já foi servente de pedreiro, peão de rodeio, DJ, sonoplasta e radialista. Hoje é locutor respeitado e admirado no mundo do rodeio, além de empresário e organizador de eventos. Ou seja, ele que fez de tudo um pouco mostra que fora da arena ainda tem energia para o que der e vier. 

Piracicabano trabalha nos estados de São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Rio de Janeiro e Goiás, realizando em média 40 rodeios por temporada. "Todas as festas que faço, é muito importante pra mim. Cada cidade tem o seu diferencial. Por Frutal, tenho um carinho especial", afirma o narrador. "Antes de confirmar minha participação, já tinha reservado a data", confessou.
Fonte: Site Oficial Piracicabano




Barra Mansa
Barra Mansa
José Rodrigues Pereira, mais conhecido como "Barra Mansa", ou "O Tenor das Arenas", é um renomado locutor de rodeios do Brasil.
Nascido na fazenda da Barra Mansa, na cidade de Adolfo, desde criança era conhecido como Zé da Barra Mansa, daí o apelido que o seguiria para a vida toda. Com onze irmãos, Barra Mansa perdeu a mãe aos 8 anos.

Com 16 anos foi trabalhar em uma rádio na cidade de Novo Horizonte, como faxineiro.
Mas não demorou para que se colocasse atrás do microfone e desse o primeiro passo para uma vida trilhada sobre versos, rimas e muita emoção, levadas para as festas de peão de todo o Brasil.

Depois de narrar jogos de futebol e apresentar projetos de cultura popular do Estado de São Paulo, quando trabalhou na Secretaria de Cultura, em 1977 começou a narrar os anúncios comerciais das festas de peão, ao lado do amigo e incentivador Zé do Prato, narrador oficial da Festa de Peão de Barretos. Iniciou sua carreira como locutor de rodeios em 1977. Sua primeira narração da Festa do Peão de Barretos aconteceu em 1982, onde tornou-se locutor oficial, e permanece até hoje. Fonte: Site Oficial